Mais info em www.pedrovieira.net

Mais info em www.pedrovieira.net
Mais info em www.pedrovieira.net

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Crenças em crianças

O desenvolvimento da organização cerebral da criança permite-lhe, aos quatro anos, ter já desenvolvida uma longa lista de crenças. Ou seja, a criança acredita já que o mundo, as pessoas e ela própria "são" de uma determinada forma!

Estas crenças, por serem desenvolvidas sem auxílio de grandes processos cognitivos (a criança não pensa ainda muito acerca das suas próprias crenças) são fortemente ligadas a processos emocionais ditados pelo sistema límbico.

É por isto que algumas das mais inportantes crenças que possuimos na idade adulta, quando questionadas, nos deixam com aquela cara de "nunca tinha reflectido muito sobre isto".

Curiosamente, são também estas as crenças que temos mais dificuldade em alterar!

Quando contacta com crianças pequenas, que crenças lhes está a passar? Serão as que terão tendência a permanecer de forma mais enraízada nas redes neuronais do futuro adulto!

Dá que pensar não é? Crença minha ;-)

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Calendário da LIFE Training para 2009 já está disponível

Esta é a altura do ano, por excelência, para fazer planos e programar objectivos. Fiz o mesmo com a equipa da LIFE Training e desenvolvemos o nosso calendário 2009 por forma a multiplicarmos por 10 o número de pessoas a contactar no próximo ano!

Para aceder ao calendário do primeiro trimestre para Porto e Lisboa, clique no link abaixo:

http://www.lifetraining.com.pt/images/life%20calendar%20q1_09.pdf

Se quiser mais informações, pode enviar-me um e-mail para pedro.vieira@lifetraining.com.pt.

Obrigado e FELIZ 2009!

domingo, 21 de dezembro de 2008

Na Suécia

Por motivos familiares, os meus últimos Natais têm sido passados na Suécia. Frio de rachar e neve de quando em vez despertam o nosso imaginário natalício!

É mesmo muito interessante que a maior parte das pessoas escolha ser um pouco mais tolerante, um pouco mais voltada para os outros, nesta quadra. Quase que a sugerir que essa atitude é mesmo uma escolha e que a podemos fazer a qualquer dia, a qualquer hora...

Indo um pouco mais longe, quase que sugiro que qualquer outra atitude pessoal é uma mera escolha. Mas... Isso seria quase admitir que quem escolhe, pode ser feliz! ;-)

FELIZ NATAL! (Ou Gud Jul, como dizem por aqui!)

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

A minha missão em 2009

Quero partilhar consigo o que vou fazer em 2009...

Em 2009 vou inspirar decisões apaixonadas de milhares de pessoas em empresas, universidades e outras organizações!

Com o aproximar do final do ano, chega a altura de planear o próximo ano (desde os orçamentos empresariais aos planos pessoais). Mais importante do que isso, acredito eu, é começar por fazer um VERDADEIRO balanço do último plano. O que aconteceu às suas últimas grandes decisões? Concretizaram-se? Aconteceram?

Se sim, sabe exactamente quais os ingredientes que conduziram ao sucesso?
Se não, sabe exactamente quais os ingredientes que não conduziram ao sucesso?

A arte da estratégia preconiza que compreender profundamente a nossa realidade é o primeiro passo, que deverá necessariamente anteceder a definição de objectivos.

A questão é que, de acordo com estudos estatísticos e experiência, a maior parte das pessoas não possui as ferramentas que lhes permitam compreender onde estão! É quase como estar num carro sem GPS, sem fazer a miníma ideia onde se está e definir para onde queremos ir... Difícil escolher o melhor caminho, não é?

Pois é, antes de definir a intenção com que abri esta mensagem, investi no conhecimento da minha realidade, identifiquei as estratégias que entregaram resultados e as que não entregaram! Só assim é possível definir destinos, primeiro, e estratégias, depois.

Por acreditar que uma das mais poderosas estratégias do mundo é pedir ajuda, faço-o agora consigo.

Neste momento, estamos (eu e a equipa da LIFE Training) a definir os nossos parceiros para o próximo ano. Gostaria que a sua equipa ou empresa participasse neste movimento positivo? Como podemos ajudar? Lembre-se... Não procuramos clientes, procuramos parceiros comprometidos com a vida!

Obrigado e MEGA ano de 2009. Escolha agora que vai ser inesquecível!

PS Entre 12 e 14 de Dezembro estaremos a entregar o nosso último curso de 2008, Coaching 4 LIFE. Grande oportunidade para entender realidade e definir objectivos para o melhor ano das nossas vidas... 2009!

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Quando nos focamos na falta...

Durante os últimos dias, foi com grande entusiasmo que se falou na possibilidade de o Benfica, ao fim de 3 anos e meio, conseguir aceder à liderança da Liga.

Aproveitando o escorregão do surpreendente Leixões, a equipa benfiquista poderia passar para a frente, desde que ganhasse ao Vitória de Setúbal.

Repare que a única razão pela qual isto poderia ser considerado um feito, com apenas um terço do campeonato jogado, se prendia sobretudo com os tais "3 anos e meio" longe da liderança.

Quantas vezes criamos objectivos que só são importantes quando enquadrados na nossa história recente e não por terem um valor intrínseco e alinhado com as nossas intenções mais profundas?

Pensava nisto ontem à noite quando, surpresa das surpresas, uma bicicleta de fora da área, já em período de descontos, ajudada por uma intervenção menos feliz do Quim, dava o empate ao Setúbal. Liderança adiada! Curiosamente, é o que tende a acontecer quando queremos apenas suplantar o nosso passado recente. O treinador benfiquista está ciente disto e deu nos últimos dias uma interessante entrevista sobre o corte radical com as condições que criaram o insucesso recente. Quem percebeu?

Boa semana, cheia de objectivos voltados para o futuro!

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Partilha pessoal

Hoje quero (e vou!) partilhar uma coisa muito pessoal...

Alguns de nós têm nesta vida irmãos ou irmãs de sangue. Aqueles com quem partilhamos pais (às vezes apenas um deles).

No meu caso, tenho a sorte de ter uma irmã que é, antes de mais, uma amiga daquelas com quem posso contar sempre que necessito. A Ana inspira-me. Adoro-a.

Agora... Há outros irmãos, aqueles com quem não partilhamos o sangue... Partilhamos os valores, as histórias, os projectos, a visão... Aqueles que estão ao nosso lado nos momentos mais difíceis, assim como nos mais espectaculares! Tenho a sorte de ter ao meu lado um conjunto de amigos e amigas que são, antes de mais, irmãos e irmãs... Obrigado, vocês sabem quem são!

PS Quem são os irmãos e irmãs que partilham a vossa vida? Qual foi a última vez que lhes disseram o quanto os amam?

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Taxa de desemprego vs taxa de emprego

Olá!

Há alguns dias tive a oportunidade de colocar estas duas questões às cerca de 300 pessoas que participaram nos workshops da LIFE Training na Feira do Empreendedor:

1. Qual é a taxa de desemprego em Portugal?
2. Qual é a taxa de emprego em Portugal?

Curiosamente, foi bastante difícil a muitos dos participantes responderem à segunda questão! Não porque o cálculo fosse complexo (longe disso, não é? 100 - taxa de desemprego = taxa de emprego!), sim porque a resposta devolvida pela operação de subtrair parece um número muito grande. De facto, 92% da população activa parece "quase toda a gente".

A célebre teoria do copo meio cheio ou copo meio vazio está tão presente no nosso dia a dia... A todo o instante decidimos... em olhar para o que queremos ou reparar no que não queremos... Escolhemos entre sorrir ou chorar, entre aplaudir ou julgar, entre viver e "viver"... Percebe o que quero dizer, não é?

Qual é a sua escolha para agora? Eu cá estou a sorrir (ao imaginar o seu belo sorriso de orelha a orelha!)

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Quando comentários nos afectam...

O que acontece se alguém (um amigo, uma familiar, um colega...) se aproximar de si e lhe disser, com um tom sério, que acha que o caro leitor tem um problema de auto-estima, que não tem auto-confiança, encondendo-se muitas vezes atrás de uma máscara social... Imagine por um momento que isto acontece mesmo... (imagine, p.ex., que é o seu companheiro/a que diz isto!)
Que emoções sente? Em que é que isso pode afectar a sua relação com essa pessoa?

Agora altere ligeiramente o cenário... Imagine que essa mesma pessoa lhe diz que acha que o leitor é um assassino! Que emoções sente agora?

Será que a única razão pela qual lida menos bem com a primeira do que com a segunda situação é porque no primeiro caso uma parte de si concorda com o comentário?

Sempre que um comentário ou feedback de outra pessoa me deixa emocionalmente afectado, pergunto-me "de que forma é que o comentário foi aceite por mim como verdadeiro?"

Se todos nos alinhassemos por esta estratégia, não haveria lugar para mágoa por aquilo que as outras pessoas nos dizem!

Obrigado por investir os próximos sessenta segundos a imaginar como isto lhe pode dar maior controlo sobre as suas emoções!

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Crise ou Oportunidade

Ontem diverti-me a assistir aos noticiários de final de dia nas diferentes estações televisivas, fazendo uma alteração visual ou auditiva: sempre que vi escrita a palavra "crise" (que palavra mais interessante para se colocar como título nos separadores, não é?) substitui-a mentalmente pela palavra "oportunidade"; sempre que alguém falou em "crise" eu ouvi "oportunidade".

Foi espectacular!

Oportunidade nos mercados financeiros continua.
Sindicatos exigem mais apoio em época de oportunidade.
Empresas reduzem custos nesta fase de oportunidade.
Face à oportunidade, famílias revêem despesas.
Governos e Bancos Centrais discutem oportunidade.

Imagine o que aconteceria se todos ouvissemos oportunidade em vez de crise...
É que (aproxime-se porquevou contar agora um segredo) esta é mesmo uma época de oportunidades... Apenas tem que aprender a concentrar-se no que nos serve e não no que nos limita...

Como estamos em época de oportunidade, ofereço-lhe esta dica gratuitamente (e do fundo do coração!)

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

A minha aprendizagem e... um poderoso vírus

Uma das mais fortes razões pelas quais comecei a interessar-me por ser (trans)formador foi... puramente egoista... É que qualquer formador que se entregue de alma e coração ao processo acabará invariavelmente por chegar ao final com a sensação de que esteve (também) a ensinar e a aprender consigo próprio.

Ontem terminamos em Aveiro a quinta edição do curso LIFE Leadership (que volta ao Porto nos próximos dias 7 a 9 de Novembro) e, mais uma vez, não parei de aprender ao longo de três dias intensos. Obrigado a todos os aveirense que me proporcionaram estes momentos! (para breve, partilharei alguns dos testemunhos deste curso).

Quando estamos focados na aprendizagem, encontramos sempre novos e extraordinários ensinamentos em toda e qualquer situação. Pelo contrário, quando nos deixamos contagiar pelo pernicioso vírus do "já sei isto", então fechamo-nos a qualquer possibilidade de aprender.

Quais os assuntos sobre os quais acha que "já sabe isto"? Espero que não sobre desenvolvimento pessoal. É que posso garantir-lhe que, qualquer que seja o seu nível de consciência, há sempre muito mais por descobrir e aprender!

Aprenda e cresça primeiro! E partilhe depois!

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Vitor Sá, campeão do mundo de boxe

O português Vitor Sá conquistou no passado domingo, em Espinho, o cinturão de campeão do mundo de boxe (WBF).

Tivemos o prazer de acompanhar e apoiar o Vítor durante o seu percurso até este merecido título. Temos campeão! No domingo deu um show de concentração e focus frente a um inteligente e perigoso adversário.

Um bom exemplo para a selecção nacional de futebol?

Ferramentas do sucesso: a experiência

Para alcançarmos sucesso nas nossas vidas (seja lá o que sucesso seja para si!) necessitamos de diferentes armas:

1) Atitude
2) Ferramentas
3) Conhecimento

Hoje gostaria de me concentrar no ponto 2, as ferramentas!

Quando alguém se candidata a um novo emprego (p.ex.) é frequentemente confrontado com a questão da experiência, "há quantos anos está neste ramo?", "quantos anos de experiência tem na gestão de pessoas?"

Pois é, é que muitas vezes confundimos experiência com ferramentas de sucesso. Estas são sinónimo do nosso nível de desenvolvimento na comunicação interpessoal e da nossa capacidade de resolver problemas. Ter mais ou menos anos de "experiência" não significa necessariamente que tenhamos desenvolvido as ferramentas de sucesso!

De certeza que conhece pessoas com muita "experiência" (anos) e poucas ferramentas! E também o contrário, não é?

Da próxima vez que lhe perguntarem pela sua "experiência", foque-se nas suas ferramentas (comunicação e resolução de problemas) e fale sobre elas. Vai ver que será tomado por experiente!

Desejos de uma boa vida!

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

De volta!

2 semanas estou de volta ao nosso grande Portugal! 2 semanas em terras do Tio Sam foram espectaculares para ver a "crise" que por lá anda.

Tive a oportunidade de conversar com pessoas sem-abrigo na ecológica cidade de Portland. Em pleno crash bolsista, estas pessoas não estavam minimamente alinhadas com o "pânico" dos media...

Poderá isto querer dizer que sentimos medo não dos eventos e sim do significado que estes têm para nós? (enquando escrevo aceno afirmativamente com a cabeça... só uma dica...)

Bom tema para desenvolver nos próximos dias!

PS Steve Linder esteve no seu melhor! Incrível!

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

A crise que aí anda!

Já ouviu certamente dizer que anda aí uma crise daquelas mesmo especiais, não é?

Uma crise daquelas que afectam fortemente o nosso sentimento de segurança, criam ansiedade em relação ao futuro e nos deixam angustiados...

Se se está a sentir asfixiado pela crise, quero ajudar a que recupere o seu sentido de escolhe. Deixo aqui uma lista de questões que preparei para mim próprio e que partilho agora consigo. Chamemos-lhe o escudo protector anti-crise!

(Muito importante, quando nos focamos naquilo que queremos, não devemos/podemos ignorar os factos e cirscunstâncias actuais. O segredo está em não nos deixarmos dominar por estes. Como diz o James Arthur Ray, é bom estar informado, mas não inundado! Quem participou já numa das edições dos cursos Coaching 4 LIFE ou LIFE Leadership sabe do que falo!)

1. Qual o impacto real e especifico que a "crise" teve na minha vida diária?
2. Em quanto aumentaram os meus gastos em função da crise (em euros)?
3. Em quanto diminuiram as minhas receitas em função da crise (em euros)?
4. O que estou a fazer de diferente para lidar com novas situações? (não me diga que, alteradas algumas circunstância, mantém a mesma estratégia e queixa-se de não ter os mesmos resultados?!)
5. O que posso fazer AGORA para tornar a crise numa oportunidade?

Com base nas respostas que tenho diariamente entregue a mim próprio, tenho aumentado os meus resultados nas últimas semanas. O que quer fazer? Nas últimas semanas tenho falado com centenas de pessoas sobre este tema. Estatisticamente, podemos afirmar que a maior parte das pessoas está a sofrer impactos financeiros relativamente pequenos (embora para quem tinha escolhido ter saldos financeiros mensais muito apertados, como eu, o impacto pequeno possa leva-lo a bater na linha da solvabilidade...) e impactos psicológicos elevados (queda abrupta dos níveis de confiança, capacidade de assumir risco, optimismo, etc).

Quero deixar uma última reflexão... Os media, as pessoas à nossa volta, os peritos, todos nos dizem que esta não é uma boa altura para correr riscos, que devemos jogar pelo seguro, segurar o que podemos, aceitar condições abaixo do que merecemos... Quando foi a última vez que recebemos a informação de que esta é a altura certa para arriscar, ser audaz, viver os nossos sonhos, mudar e progredir? NUNCA! Há 2 tipos de pessoas, e apenas 1 deles se foca naquilo que quer... Faça a sua escolha, sabendo que será sempre a opção certa para si!

PS Amanhã parto para os Estados Unidos, para passar 10 dias em formação com o Steve Linder. Ouvi dizer que por lá a "crise" é bem maior! Depois conto como foi!

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Pensamento para hoje

Imagine que tudo o que quer está numa das suas mãos... Imagine que tudo o que não quer está na outra... Para que lado vai olhar hoje? Imagine por um dia que pode controlar o seu foco e escolha!

Aviso: se fizer isto muitos dias seguidos pode descobrir que consegue mesmo controlar o foco...

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Partilha

Hoje quero partilhar a alegria profunda que senti ontem no final da 2.ª edição do curso LIFE Leadership - Liderança para a Vida (Porto). É uma sensação extraordinária assistir a transformações pessoais como aquelas que eu e a equipa da LT tivemos o prazer de verificar com os participantes do curso.

Ao longo de dois dias e meio demos o nosso melhor, enquanto equipa de (trans)formadores - eu, Núria Mendoza e o Ricardo Peixe - para fornecer conhecimento, sugerir estratégias, proporcionar experiências, estimular aprendizagens... No final, no entanto, apenas uma coisa conta... A vontade dos participantes escolherem e progredirem...

"Algumas aprendizagens e formações mudam a nossa vida... ou assim pensamos! Esta formação fez bem mais: deu-nos as ferramentas para que possamos tomar controlo sobre a nossa vida e, melhor ainda, ter noção disso..." - Ricardo

"O curso de LIFE Leadership veio dar-me as ferramentas/conhecimentos que necessitava para atingir os meus objectivos. Agora sei que o céu é o limite e que tudo é possível quando acreditamos em nós próprios!" - Sílvia

"Queridos amigos da LT, ter vivenciado esta formação com vocês é algo inexplicável. Neste momento sinto-me imensamente rica em conhecimento, experiências e felicidade! Obrigada" - Fernanda

"A formação é a prova viva de que podemos passar de excelentes a excepcionais. Já tive contacto com o Pedro em outras actuações profissionais e só tenho uma coisa a dizer: parabéns, Pedro, estás execpcional como formador" - Vinicius

"Após este curso da LT, ficou mais claro que sou líder de mim própria e das minhas escolhas!" - Yvone

Foi para isto que formamos a LIFE Training... Para inspirar decisões apaixonadas.

Obrigado, amigos!

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Sonho, objectivo ou intenção?

Um sonho é algo que gostaríamos de alcançar...
Um objectivo é algo que queremos atingir...
Uma intenção é algo que vamos materializar!

A forma como falamos das coisas que desejamos (sejam elas emoções ou dinheiro, relacionamentos ou bens materiais) demonstra claramente a probabilidade de elas realmente se concretizarem! Custa a acreditar? Basta dedicar alguma atenção a escutar as outras pessoas a falarem sobre os seus "objectivos". Rapidamente se percebe que o nível de compromisso com cada um dos cenários apresentados como "metas" é diferente.

Alguns exemplos que ouvi nos últimos dias...

"O que eu gostava era de arranjar um emprego melhor" (Tradução: estou a fazer muito pouco para o encontrar, apesar de estar pouco satisfeito com o emprego actual; Previsão: não vai acontecer)

"Quero encontrar o companheiro ideal" (Tradução: não tenho um companheiro ideal, estou atenta a todas as possibilidades, tenho dúvidas sobre se o companheiro ideal existe mesmo; Previsão: pode vir a acontecer, dependendo mais dos outros do que de mim)

"Vou correr a meia maratona pela primeira vez na minha vida a 21/Set, e vou terminá-la em menos de 2h" (Tradução: estou a preparar-me para terminar com sucesso um desafio pessoal, falo com convicção sobre ele, acredito que vai acontecer; Previsão: vais mesmo acontecer!)

Depois de percebermos o que se passa com a formulação de "objectivos" dos outros (e aprendemos a subdividi-los em sonhos, objectivos e intenções), nada como observarmos a nossa própria linguagem. Como descrevemos os nossos desejos? Será que vale a pena investir tempo e energia naqueles que não passam de sonhos e concentrarmo-nos naquelas que são as nossas verdadeitas intenções?

Quando me ouço a dizer "gostava de...", pergunto a mim próprio em sucessão: "gostavas ou queres?", "queres ou vais?". As respostas mostram-me o que é realmente importante!

PS Começa amanhã (16/Set) a 2.ª edição do curso Coaching 4 LIFE no Porto. Para inscrições de última hora, ligar 927 622 989, linha LIFE Training Porto.

sábado, 6 de setembro de 2008

De volta... ao país e à acção!

Caros leitores do Neuroestratégia:

Estou de volta! Depois de 10 intensos dias a acompanhar o mestre dos mestres, Steve Linder, em Londres, estou de volta ao nosso solarengo país.

Há momentos da nossa vida em que urge parar, reflectir, planear, programar... E há outros em que a palavra de ordem é "acção"! Hoje quero, definitivamente, influenciar-te para que entres em acções. Esquece por um momento as circunstâncias que normalmente te impelem a não sair da rotina e, simplesmente, escolhe uma das seguintes formas de me ajudares a vivenciar o meu propósito de vida. Garanto que, assim, estarás também a ajudar-te a vicenciar o teu!

Palestra Gratuita "LIFE Sales - Vendas para a Vida", 10/Set, 18:30/20:00, Centro Empresarial Lionesa (sala LIFE Training, junto ao ginásio Fitness WorX)

Palestra Gratuita "Welcome to Your LIFE", dia 12/Set, 18:30/20:00, Centro Empresarial Lionesa (sala LIFE Training, junto ao ginásio Fitness WorX)

Palestra Gratuita "Welcome to Your LIFE", dia 15/Set, 19:00/20:30, Hotel Moliceiro (Aveiro)

Palestra Gratuita "LIFE Leadership - Liderança para a Vida", dia 17/Set, 18:30/20:00, Centro Empresarial Lionesa (sala LIFE Training, junto ao ginásio Fitness WorX)

Curso "Coaching 4 LIFE - Coaching para a Vida", a partir de 16/Set (3.ªas e 5.ªas), 19:00/22:00, Hotel Tryp Expo (Leça da Palmeira, junto à Exponor) - últimas vagas

Curso "LIFE Leadership - Liderança para a Vida", 19 a 21/Set, Hotel Tryp Expo e LIFE School - últimas vagas

Curso "LIFE Leadership - Liderança para a Vida", 26 a 28/Set, Hotel Moliceiro (Aveiro) - últimas vagas

Curso "LIFE Sales - Vendas para a Vida", 18/19 Set, 10:00/18:00, Centro Empresarial Lionesa (sala LIFE Training, junto ao ginásio Fitness WorX)

Muitas oportunidades de crescimento e desenvolvimento pessoal! Escolhe agora o próximo passo e entra em "acção" enviando por e-mail a tua inscrição para info@lifetraining.com.pt

Obrigado!

PS Em Outubro estarei em Portland (Oregon, USA) a acompanhar novamente o Steve Linder, prometo trazer muitas e boas novidades!

PS 2 O meu primeiro livro está quase, quase pronto!

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Crescimento... uma necessidade?

Segundo o modelo de necessidades humanas de Anthony Robbins, estas são seis: Certeza, Incerteza, Significância, Concexão, Crescimento e Contribuição.

As quatro primeiras são sempre preenchidas por todos os seres humanos, de formas mais ou menos... saudáveis!

Já as duas últimas não são necessariamente preenchidas por todos. Pessoas há, até, que pouco crescem ou contribuem ao longo das suas vidas. Sem experimentar a satisfação destas duas necessidades não é possível experimentar a felicidade a um nível sublime. Ponto final.

Quando se fala daquilo que nos permite crescimento, claro que falamos de coisas diferentes para pessoas diferentes. Utilizando uma linguagem comum e abrangente, podemos dizer que crescemos quando nos sentimos hoje mais e melhor do que ontem. Sabe do que falo, não é verdade?

Uma das observações interessantes que é possível fazer em relação a muitas das pessoas que procuram um psicológo, um psiquiatra ou um coach (a maneira mais rápida de alcançar resultados?!) para obter ajuda por se sentirem "vazias", "sem objectivos" ou simplesmente "aborrecidas" é que raramente estão a fazer alguma coisa activa para crescerem ou contribuirem.

Pense agora no seu crescimento. O que está a fazer neste momento na sua vida que lhe permite satisfazer esta necessidade? A estudar? A ler livros interessantes?

Não lhe vou falar sobre todo o crescimento que sentirá ao participar nos cursos de Liderança, Coaching, Vendas ou Relacionamentos da LIFE Training. Vou fazer-lhe apenas um pedido. Aposte em si e no seu crescimento. A sua felicidade (também) depende disso.

PS Até 31 de Agosto estarei a "crescer" em Londres, acompanhando o Steve Linder.

quinta-feira, 31 de julho de 2008

LIFE Leadership: Dica 1

Ouvir, ouvir, ouvir!

Um bom líder, ouve! Ouve muito e bem! Acredita que toda a informação que lhe possa ser passada por colaboradores, amigos, familiares, clientes, etc pode ser valiosa para si e para a sua organização (seja ela uma empresa, uma família ou um clube).

Há uma interessante teoria que gostaria de partilhar consigo sobre este assunto.
Quanto mais pessoas zangadas, irritadas, desmotivadas existirem na sua organização, menor a probabilidade de serem lideradas por alguém que sabe ouvir. É que o processo de "desligamento emocional" de uma organização por parte de um colaborador (p.ex. numa empresa) começa normalmente com uma tentativa frustrada de comunicar aquilo que "está mal" (de acordo com a sua percepção, claro!)

Quantas vezes, a liderança investe tempo, energia e recursos financeiros na busca de soluções, ideias, conselhos por parte de entidades externas (consultores, como eu!) antes de esgotar a oportunidade de realmente ouvir o que a sua equipa tem para dizer?

Quantas vezes os pais se debatem com questões para as quais os filhos têm as soluções?
(todos os dias fico surpreendido com a capacidade que a minha filha de 4 anos tem de resolver facilmente questões que me parecem a mim complexas...)

Há pessoas que querem desenvolver a capacidade de liderar os outros (quem já fez o curso de LIFE Leadership sabe que há alguns importantes passos a dar primeiro)... Se é o seu caso, pois aqui vai uma das melhores dicas... e de borla! Aprenda a ouvir com atenção o que lhe dizem as pessoas que gostaria de vir a liderar. Vai fazer toda a diferença!

Bom Verão!

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Uma amostra SPIDER

Olá! Brevemente publicarei o livro "SPIDER - Como definir objectivos irresistíveis", uma metodologia para tornar os seus sonhos em metas... concretizadas!

No livro partilho dezenas de histórias de pessoas reais. Aqui vai uma!

“A Claúdia era directora financeira de uma média empresa exportadora. Tinha crescido muito na organização e acreditava ser francamente competente a definir objectivos. Fazia-o no início do ano, para todos os departamentos da empresa, e revia as metas a cada três meses. Para definir os objectivos recorria a complexos quadros de análise financeira, muitos deles desenvolvidos pela própria, que era considerada altamente competente até por responsáveis financeiros de organizações de maiores dimensões. Um dia, o seu chefe conversou comigo e confidenciou-me algo muito interessante: começava a questionar a capacidade da Claúdia para definir objectivos financeiros. É que nos últimos três anos, a empresa nunca tinha alcançado os objectivos propostos e a Claúdia comportava-se como se essa situação nada tivesse a ver com ela, pois com falhava os objectivos eram logicamente os departamentos comercial e de produção. O chefe, um gestor experimentado, que tinha trabalhado muitos anos em França antes de aceitar dirigir este projecto sentia, por seu lado, que a forma como os objectivos eram definidos, unicamente através de processos altamente metódicos e racionais, precisava de ser revista. Talvez seja bom a Claúdia receber uma picada de aranha, pensei eu”.

Que objectivos tem neste momento? Gostaria de aprender a defini-los de uma forma tão irresistível, para si e para os outros, que a sua concretização quase parece uma mera formalidade? Então este livro é para si!

terça-feira, 22 de julho de 2008

Não tenho tempo!

O nosso recurso realmente escasso é o tempo. Dispomos de 24 horas por dia, independentemente de gostarmos ou não!

O que faço com o meu tempo é o que me define como pessoa. Curiosamente, uma parte significativa das pessoas sentem que não têm controlo sobre grande parte do seu tempo, condicionadas pela necessidade de ganhar dinheiro, de tratar dos filhos, dos compromissos sociais e familiares, etc. Mesmo no Verão, altura em que parece que o controlo sobre o tempo é maior, a desculpa do "não tenho tempo" continua a ser utilizada para tudo e mais alguma coisa.

Na realidade, temos sempre tempo, podemos é preferir não o utilizar na actividade que nos é proposta. Alguns exemplos, com linguagem descodificada:

"Gostaria de fazer um curso de liderança, aprendendo sobre os processo que lhe permitem ganhar controlo sobre a sua vida?"

- Não posso, pois não tenho tempo! (descodificação: parece interessante, mas prefiro utilizar o meu tempo noutras actividades que não descobrir mais sobre como ganhar controlo sobre a minha vida)

- Se tivesse tempo, participava! (descodificação: se as circunstâncias da minha vida fossem diferentes, tomava diferentes opções. Como continuo a tomar as mesmas opções, as circunstâncias manter-se-ão!)

- Quando tiver tempo, participo! (descodificação: acredito que as minhas circunstâncias se alterarão, não sei porquê ou quando pois não tenho controlo sobre o processo)

O que faz actualmente com o seu tempo? Quantas horas por dia dedica ao trabalho, à família, aos amigos, ao desenvolvimento pessoal, ao lazer? Esta divisão de tempo reflecte realmente quem é ou quem quer ser?

O que faria se controlasse o seu tempo?

PS Recebe e-mails periódicos com as minhas actividades e da LIFE Training? Se não, pf envie um e-mail para info@lifetraining.com.pt com o subject Adicionar. Obrigado!

terça-feira, 15 de julho de 2008

Mais leituras de Verão

Aqui vão os títulos que ando a ler ou reler nestas semanas.

Se tiver oportunidade de os acrescentar à lista de livros a "estudar" durante este Verão, recomendo com toda a força!
Como o acaso comanda as nossas vidas - Stefan Klein
O mais reputado escritor sobre neurociência alemão (palavras de António Damásio) analisa o "acaso". Brilhante e inspirador!

Medo: Um tratado da valentia - José Antonio Marina
O filósofo catalão analisa o medo em todas as suas vertentes. Aprendi a compreender melhor os meus medos. Isso vale ouro!

Ken Blanchard - Um nível superior de Liderança
A equipa que já nos trouxe tantos e tantos best sellers de gestão reflecte agora sobre a liderança no século XXI.

Bom Verão! Boas leituras!
PS Está na hora de começar a planear a sua aprendizagem pós-Verão... Que tal inscrever-se num dos cursos Coaching 4 LIFE e LIFE Leadership? Tenho recebido dezenas de testemunhos inspiradores de quem já fez estes cursos com notáveis resultados! Brevemente serão publicados aqui no blog.

quarta-feira, 9 de julho de 2008

Leituras de Verão

Jim Rohn, o grande motivador, escreveu um dia... "Para resolver qualquer problema, aqui estão três questões para fazeres a ti próprio: primeiro, o que posso fazer? Segundo, o que posso ler? Terceiro, a quem posso perguntar?"

Atravessamos um período do ano em que muitas pessoas fazem férias mais alargadas e dedicam algum tempo à leitura. O que anda a ler? Que emoções procura com os livros que escolhe? O que quer aprender que o possa ajudar a lidar com os seus desafios actuais?

Deixo-lhe como sugestão o clássicos do gigante do desenvolvimento pessoal...

Poder sem Limites - Anthony Robbins

Se ainda não leu, porque não aproveitar estas férias para o fazer? Se já o fez, nas próximas semanas prometo partilhar mais leituras que aconselho vivamente!

Bom Verão!

terça-feira, 8 de julho de 2008

(retirado de www.spiderrunning.blogspot.com, o projecto da LIFE Training para não corredores interessados em... correr!)

Quais as músicas que o fazem sentir especial? Quais as que o fazem sentir nostálgico? Triste? Animado? Enérgico?

A música tem o dom de nos transportar em segundos para estados emocionais diferentes do inicial, por duas razões principais, durante uma corrida:

1) O ritmo da música condiciona a nossa passada, o nosso batimento cardíaco e até o ritmo do nosso pensamento; o nosso corpo é fisicamente contagiado!
2) A música pode estar poderosamente ancorada a recordações emocionais, que nos levam a sentir o que sentimos na altura para que nos transporta a recordação! No meu caso, sempre que ouço "Seven Nation Army", dos WhiteStripes, sinto a energia dos eventos do Anthony Robbins (se já lá esteve, sabe do que falo!)

Assim, uma grande dica para quem quer fazer pela primeira vez uma corrida de resistência é preparar o seu iPod ou leitor de mp3 cuidadosamente, com as músicas mais energicas e motivadoras que conseguir encontrar!Além da música, também a própria letra das canções escolhidas nos pode condicionar positivamente. Escolha letras positivas e inspiradoras!

Boa corrida!

(SPIDER Running é um projecto artilhado com a tecnologia SPIDER Objectives!)

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Objectivos SPIDER

Todos nós temos objectivos que gostaríamos de atingir.
Todos nós temos objectivos que queremos atingir.
Todos nós temos objectivos que vamos atingir.

Repare como uma palavra pode fazer toda a diferença!

Encontrar os objectivos mais relevantes para cada um de nós é uma arte, atingi-los efectivamente é uma ciência! Passei os últimos meses a compilar o método para tornar os nossos objectivos irrestíveis e inspiradores. Para que todos, a começar por nós próprios, ajudem a torná-los rapidamente realidade. Brevemente, os objectivos SPIDER serão dados a conhecer ao público sob a forma de livro. Gostaria de ser um dos primeiros a ler o capítulo de abertura? Mantenha-se atento, pois será publicado aqui mesmo no blog.

A partir de Setembro, será possível tornar-se um Especialista Certificado em Objectivos SPIDER (ECO SPIDER), o calendário de certificações será lançado brevemente.

Bom Verão! (cheio de objectivos atingidos!)

Ah, veja o vídeo que lançamos no youtube e aqui no blog, com imagens das últimas formações da LIFE Training.

segunda-feira, 30 de junho de 2008

Como formar poderosos grupos de influência

Na passada terça-feira, cerca de 80 pessoas participaram na palestra "LIFE Team - Como formar poderosos grupos de influência", em Leça da Palmeira. Este tema é do mais elevado interesse para todos quantos desejam obter melhores resultados em qualquer área das suas vidas (ou em todas, caso mais frequente).

Foi curioso perceber que a forma como muitos dos participantes chegaram até à palestra foi já um exemplo prático do funcionamento dos grupos de influência. Muitas das pessoas que falaram comigo antes ou depois do evento, confidenciaram-me que a única razão pela qual participaram na palestra foi a forte influência exercida por alguém próximo.

Quando assumimos a liderança das nossas vidas e a responsabilidade dos nossos resultados e juntamos poderosos grupos de influência à nossa volta, a magia começa a acontecer!

Obrigado a todos os mágicos que levaram amigos e colegas a conhecerem um pouco do trabalho da LIFE Training! Alguns dos participantes (muitos, na realidade) inscreveram-se já nos cursos de "LIFE Leadership - Liderança para a VIDA" e "Coaching 4 LIFE - Coaching para a VIDA" que irão acontecer em Porto, Aveiro, Braga e Coimbra na segundo semestre de 2008. Todo o seu grupo de influência (o actual e o futuro) ficará a ganhar!

Tenho a sorte (e o engenho) de estar rodeado de um extraordinário grupo de pessoas que acredita que controla os resultados que obtém em todas as áreas da vida. Quem controla os seus resultados?

domingo, 29 de junho de 2008

Como falhar... sem ter objectivos!

A quase totalidade das equipas participantes no Europeu de Futebol 2008 (cuja final se joga daqui a umas horas) iniciaram o certame com... não objectivos. Na realidade, para quem acredita que há uma relação directa entre a verbalização dos nossos objectivos e a probabilidade estatística de estes se tornarem realidade, foi verdadeiramente constrangedor assistir ao desfile de definição de "não objectivos" por alguns dos maiores treinadores de futebol da actualidade.

Entre um "todos os jogos são uma final" e o "vamos lutar por passar da primeira fase e depois logo se vê" não houve uma única selecção que tivesse definido de forma específica, mensurável, accionável, realista e temporal (conhece certamente os objectivos SMART) o que realmente queria obter neste campeonato.

Curiosamente, aquando do afastamento da prova (a que apenas Espanha e Alemanha escaparam, como finalistas) várias foram os treinadores e jogadores que confessaram desapontamento com a sua classificação ou eliminação. Como é possível ficar desapontado quando não havia objectivos? Ou será que na realidade eles estavam lá, só não foram tornados conscientes ou até exteriorizados por simples medo? Sim, medo! O medo é a única coisa que nos impede de aceitar aquilo que realmente queremos!

Muito dificilmente um treinador aceitará que não se assumiu como candidato ao título por medo, preferindo utilizar expressões como "ser realista", "não criar falsas expectativas", "não aumentar a pressão". Por outras palavras, digo eu... medo!

Os valentes não são aqueles que não sentem medo (esses são os destemidos, por vezes, puramente inconscientes...), são aqueles que, sentindo-o, dão o passo em frente!

Qual é o passo que necessita de dar para, apesar do medo, lutar por aquilo que realmente quer ser, ter ou fazer na sua vida?

A partir de Setembro, novos cursos de Liderança e Coaching da LIFE Training passarão por Porto, Lisboa, Braga, Aveiro e Coimbra. Poderá ser um passo para si? Talvez!

terça-feira, 17 de junho de 2008

LIFE Team - Criando poderosos grupos de apoio

O nosso sucesso depende da qualidade do nosso grupo de apoio. De facto, toda a investigação sobre a matéria nos mostra que o que alcançamos (a nível físico, financeiro, emocional, espiritual) tem uma forte correlação com aquilo que as pessoas mais próximas acreditam que alcançaremos!

Rodearmo-nos de pessoas que acreditam em nós e no nosso potencial é quase tão importante como aquilo em que nós próprios acreditamos! Acredita?!

No próximo dia 24/Junho, às 18h45, no Hotel Tryp Porto (junto à rotunda da Exponor em Leça da Palmeira) a LIFE Training vai realizar uma palestra aberta ao público sobre este decisivo tema. O objectivo é equipar os participantes com conhecimentos práticos sobre a criação de grupos de apoio.

Se quiser participar basta enviar um e-mail com os dados pessoais para info@lifetraining.com.pt (a inscrição é simbólica - 5€ - e paga no local do evento).

Qual é o seu actual grupo de apoio? Quem são as pessoas à sua volta que incentivam na hora dos desafios e impulsionam na hora dos desaires? Quem são os pares que inspiram e motivam?

E, pelo contrário, quem são os "perturbadores da harmonia", que apenas exigem, ameaçam, desmotivam ou "avisam" que... talvez seja melhor jogar pelo seguro, não ir por aí, desistir...

Já imaginou onde estaria se possuísse um poderoso grupo de influência e apoio?

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Necessitamos de LÍDERES!

Um bom coach evita utilizar verbos como "necessitar" (ou outros operadores modais de necessidade). É que sempre que necessitamos de algo, estamos a focar-nos no facto desse algo nos fazer "falta". Ora, esta ideia de que hás coisa que nos fazem "falta" é uma das maiores histórias que podemos contar a nós próprios e que mais utilizamos para justificar o adiamento do sentimento de felicidade... Quando isto (dinheiro, amor, férias, bens materiais, pessoas, etc) deixar de me fazer "falta" então serei feliz...

Ainda assim... Necessitamos de líderes!

Os eventos controlam-no a si ou controla os eventos? Se respondeu com a segunda hipótese, então faz parte de um selecto grupo de pessoas... os líderes!

No passado sábado, terminou a primeira edição do curso LIFE Leadership - Liderança para a Vida. 25 pessoas assumiram o objectivo de serem líderes de si próprios e daqueles que os rodeiam.

Verdadeira liderança é um acto de coragem, audácia e compaixão. Quantas pessoas conhecem que se entitulam de líderes sem manifestarem nenhuma destas qualidades?

Acredito que quando 1 em cada 10 portugueses se tornarem verdadeiros líderes, o país será um exemplo de boa governança, produtividade e... felicidade!

Há 9 tipos de líderes, e cada um destes, de acordo com as suas personalidades, trás consigo extraordinárias mais valias e também medos primordiais... Que enfrentará com intensidade superior em posições de liderança, mais expostas à avaliação e julgamento dos outros. Compreender o tipo de líder que somos ajuda-nos a perceber porque fazemos o que fazemos e como podemos fazer o que realmente queremos fazer!

Descobrir o líder que há em nós é necessário... o país agradece!

segunda-feira, 9 de junho de 2008

Equipa LIFE Training deu show na Meia Maratona!

Depois de ter cortado ontem a meta na mais árdua Meia Maratona que já fiz (o percurso em Matosinhos é acidentado até mais não! Subir duas vezes da marginal de Leça até à Igreja é duro!) sentei-me à espera dos meus colegas da LIFE Training... Pouco depois chegaram o Ricardo Peixe e a Núria Mendoza com o sorriso estampado na cara de... missão cumprida!

Não muito depois, o Nuno Silva, director executivo da Global Fitness, cortava também a meta e confidenciava-me que "percebi que correr uma Meia Maratona nada tem a ver com corrida mas... com a capacidade de sairmos da nossa zona de conforto". Orgulhei-me do meu amigo e da coragem que demonstrou!

Como coaches, o Ricardo e a Núria sabem que parte do segredo da felicidade reside na capacidade constante de sairmos da nossa zona de conforto, fazermos o que nunca fizemos, olharmos para o mundo de novos ângulos, considerarmos outras perpectivas... E tudo isso pode ser aprendido... correndo!

Fazer 21km ou 42km não é um feito histórico... mas é um marco na vida de cada um que o alcança pela primeira vez! Quais são as suas actuais maratonas? As coisas que gostava de ser, fazer ou sentir e que estão apenas a uma pequena decisão de distância? A decisão de sair da sua zona de conforto!

Vemo-nos na Corrida das Festas da Cidade do Porto, a 22 de Junho? Ou talvez prefira participar na próxima palestra gratuita da LIFE Training a 24 de Junho? Envie-me um e-mail se o quiser fazer! (pedro.vieira@lifetraining.com.pt)

domingo, 1 de junho de 2008

As histórias que contamos a nós próprios

Durante anos, contei a mim próprio uma bela história. Uma história acerca de como começaria a ajudar outras pessoas logo que os MEUS resultados estivessem assegurados.

Quais são os resultados que TEM de assegurar antes de começar a ajudar os outros? Quaisquer que sejam, essa é a sua história! A nossa mente tem uma tendência extraordinária de criar dilemas, escolhas de "isto" OU "aquilo". Já pensou como tantas vezes conseguimos "isto" E "aquilo" desde que ambos sejam realmente importantes para nós?

Conheço pessoas (tal como conhece também certamente) que abdicam de valores muito importantes para si em nome da pretensa resolução destes dilemas... O que não deixa de ser uma forma "mental" de vender a alma ao Diabo, não é?

Quando verbalizamos os nossos dilemas colocamo-nos muitas vezes em situações em que ambas as escolhas nos retiram poder! Quase sempre é possível trabalhar o dilema até que ele nos ofereça caminhos cheios de possibilidades, energia e positividade. As palavras que usamos ditam o nosso caminho. Aprender a formular correctamente os dilemas, as escolhas da nossa vida é tão importante como a escolha em si!

Ora vejam...

a) Tenho de aumentar os resultados da minha empresa, logo estou perante o seguinte dilema "pressiono as pessoas até ao limite ou sou despedido"... E que tal reformular isto para "inspiro e lidero as pessoas para que juntos atinjamos os resultados pretendidos ou vou ter a possibilidade de encontrar outra coisa que goste (talvez até mais) de fazer". Consegue perceber que na primeira formulação estamos perante uma situação de perde-perde?

b) Enganei o meu marido, logo estou perante a seguinte escolha "guardo segredo para sempre ou conto e termino com o casamento"... O que aconteceria se o dilema fosse postulado como "todos os dias vivencio a minha relação para que seja tão satisfatória que nunca procurarei outra pessoas ou então partilho o que aconteceu e dou-nos a ambos a oportunidade de aprender, crescer e decidir". A solução pode ser diferente? Certamente será vivida de forma mais positiva!

O que aconteceria se reformulasse os actuais dilemas da sua vida?

domingo, 18 de maio de 2008

Medo de... falar!

O medo número 1 da população adulta é falar em público! O medo número 2 é o de morrer!
Como costuma dizer o Mário Caetano, maior do que estes só mesmo o medo de... morrer a falar em público!

Ou como brincou Jerry Seinfeld, "num velório, o adulto médio prefere estar dentro do caixão do que ter que fazer o discurso!"

Quando falamos em público (numa reunião de trabalho com a nossa equipa, numa palestra, com um grupo de amigos à volta de uma mesa de restaurante, ou em qualquer outra situação em que mais do que duas pessoas nos escutem) somos confrontados com os nossos medos primordiais a uma escala superior aquela com que lidamos habitualmente sozinhos ou interagindo apenas com uma pessoa.

É por isso que falar em público é, simultaneamente, um grande desafio e uma grande oportunidade. Pessoas que aprendem a dominar o medo de falar em público experimentam, normalmente, aumentos significativos da auto confiança em todas as áreas da sua vida!

Quando foi a última vez que falou em público? Quantas oportunidades perdeu na sua vida sentimental, profissional, social por evitar falar em público? Eu perdi muitas!

Nos cursos de Liderança da LIFE Training fazemos desta constatação uma parte importante do conteúdo experimental. Mais do que apresentar ferramentas de desenvolvimento pessoal, comunicação e liderança, queremos proporcionar aos participantes experiências transformacionais para que se possam tornar líderes de si próprios (primeiros) e aprender a liderar os outros (depois)!

Interessado? Esteja atento aos próximos cursos de LIFE Leadership em várias cidades do país!
Se gostaria de organizar um curso de Liderança apenas para a sua empresa, contacte-me utilizando pedro.vieira@lifetraining.com.pt, estamos a fechar o nosso calendário 2008!

sábado, 3 de maio de 2008

Comunicar sem estratégia... por comunicadores profissionais!

Todos nós tivemos professores de eleição, outros assim assim, e também alguns daqueles de que só nos lembramos pelas piores razões!

O maior medo da população humana adulta é o medo de falar em público (o segundo medo mais comum, já agora, é o da morte; e o terceiro, como diz por brincadeira o Mário Caetano, é o de morrer a falar em público!). Só por isso, ser professor é um acto de coragem. É que para ser professor é necessário comunicar em público durante horas e horas por dia. E com públicos bem exigentes!

Ser professor é, em parte, ser palestrante profissional. E, como qualquer profissional que depende da sua capacidade de se exprimir para grupos de pessoas, é importante investir tempo e energia a aumentar recursos de comunicação em grupo.

Tudo isto a propósito de uma palestra a que assisti recentemente e em que interviu um conhecido professor universitário, reconhecidamente uma das pessoas que mais sabe sobre a sua área de investigação no país. Uma pessoa que investiu décadas na aprendizagem e ensino da sua matéria de eleição e que tem extensa obra publicada. Após trinta segundos de palestra, a sonolência instalou-se na assistência e duvido que alguém tenha realmente acompanhado o denso raciocínio mental que se seguiu. Não percebi até se na realidade existia uma mensagem a passar ou apenas uma necessidade de expôr capacidades... A verdade é que, fosse qual fosse a intenção, os resultados foram pobres.

A nossa vida são os nossos resultados. Sejam eles quais forem! Falar em público é um desafio tremendo (eu que o diga!) e também uma oportunidade imperdível de causar impacto em todos quantos nos deram a oportunidade de nos ouvir...

Qual foi a última vez que falou em público? Aproveitou a oportunidade? Qual a sua estratégia para falar em público? Se nunca dedicou tempo de qualidade a pensar nesta questão, sugiro que o faça, poucas actividades podem alavancar tanto a passagem da sua mensagem pessoal. Sim, aquela que transporta e que apenas da sua boca pode sair!

Se precisar de ajuda para falar em público, fale com um coach... Ou procure o clube Toastmasters em Lisboa, Porto ou Braga! Vai surpreender-se! (toastpt.blogspot.com)

domingo, 27 de abril de 2008

Estratégias para... não agir!

Todos nós possuimos estratégias infalíveis para nos levarem à não acção. É verdade, procrastinação é uma forte especialidade da maior parte dos seres humanos. E toca a quase todos, pois mesmo as pessoas que, por exemplo, possam demonstrar uma capacidade impressionante de entrar em acção no domínio profissional, poderão ter a garagem por arrumar em casa há mais de 2 anos! (Ups, o meu inconsciente traiu-me nesta... é que o tipo da garagem por arrumar sou eu...)

Nos últimos dias tenho falado com muitas pessoas que gostariam, queriam, adoravam, intencionariam apostar mais no seu desenvolvimento pessoal mas não o vão fazer agora porque... (e aqui vêm uma série de "desculpas"). Sei que as situações que apresentam são bem reais... ainda assim, quando queremos muito uma coisa, arranjamos forma de a obter. A vida de todos nós está recheada de exemplos disto!

Mais de 20 pessoas, por exemplo, inscreveram-se já no curso Coaching 4 LIFE no Porto, enquanto cerca de outras duas dezenas decidiram não o fazer por uma ou outra razão, apesar de "quererem" muito. Sempre que alguém quer muito uma coisa e não a faz, estamos perante uma de duas situações:

1. Na realidade, a pessoa não quer assim tanto mas sente que deveria querer (crenças)
2. A pessoa realmente quer e está a procrastinar

Há 7 razões básicas para procrastinar, ligadas com crenças enraízadas, vou deixar aqui as duas ou três com que mais tenho deparado:

a) Não é o timing perfeito, pois tenho muito trabalho e compromissos (a crença de que poderá existir um timing perfeito no futuro é das mais destrutivas que existe, pois impele-nos a adiar decisões importantes para um tempo que na realidade nunca existirá... ou acha que o trabalho e os compromissos vão realmente diminuir?)

b) Não estou ainda preparado, tenho de ler mais sobre o assunto antes (a crença de que podemos dominar melhor o nosso mundo externo se nos prepararmos muito e bem; na realidade a aprendizagem só acontece quando estamos emocionalmente conectados, quando estamos presentes; é como o atleta que se quer preparar para uma grande competição sem competir nunca antes)

Tome decisões apaixonadas e viva uma boa vida!

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Fire Eating!

No passado sábado, num evento de apresentação da LIFE Training na Costa da Caparica, cerca de 30 pessoas acederam ao desafio de... engolirem fogo!

O fogo desperta naturalmente em nós um medo primitivo, cultivado ao longo de toda a nossa vida. "Não brinques com o fogo", "o fogo queima", e as nossas próprias experiências físicas (quem não colocou um dedo num fósforo aceso, atraído pela beleza da chama?) apontam todos no mesmo sentido: o fogo não é para colocar dentro da boca!

Assim, quando a nossa mente tem pela frente uma bela tocha acesa, pensa o quê?

No meu caso, lembro-me bem do meu pensamento na primeira vez que me coloquei nessa situação: "A chama tem cerca de 15cm de altura, a minha boca aberta não deve ter mais de 7 ou 8, não sei se isto vai acabar bem..."

Felizmente o grande Steve Linder tinha preparado bem o meu inconsciente antes do exercício... As minhas crenças estavam já debilitadas por esta altura e quase prontas a cederem. O Steve fez o resto com um simples olhar confiante e um pequeno acenar de cabeça. Engoli o fogo! Foi lindo e guardo essa sensação comigo.

Sempre que me deparo com uma situação na vida em que tenho de ultrapassar sensações de medo para alcançar um objectivo querido, penso no fogo, na tocha e no Steve.

Cada um de nós, recorrendo às suas experiências pessoais, pode encontrar momentos de coragem no seu passado (certamente muitos de coragem bem superior à de abocanhar uma tocha a arder!) e apelar a eles nos momentos em que mais precisa! Ou então focar-se em momentos em que o medo dominou e impediu a progressão. Ambas são estratégias poderosas e eficientes! Qual vai escolher quando estiver perante os fogos da vida?

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Podemos ser demasiado confiantes?

Ontem alguém me disse que sentia que às vezes sente que as pessoas que são demasiado confiantes em relação a si e aos outros podem perder credibilidade. Fiquei a pensar no assunto...

Nos dias que correm, apresentar um discurso confiante (confiante nos resultados, confiante nos processos ou simplesmente... confiante) é muitas vezes visto com desconfiança. Socialmente, ser confiante é muitas vezes tomado por arrogância! Quase sempre, quem fica "chocado" com o aparente excesso de confiança dos outros são as pessoas... pouco confiantes!

O nosso mundo (e ainda mais o nosso país) precisa de tomar um comprimido de confiança, ou não fosse a confiança, a auto-confiança, uma das estratégicas básicas rumo ao sucesso.

Se se sente confiante, não tema em exprimi-lo, a não ser que isto choque com as suas próprias crenças. Se existem dentro de si crenças do género "se mostrar confiança, na realidade estou-me a armar em esperto" ou "se for muito confiante, vou atrair o azar", então... trabalhe nas suas crenças.

Estou confiante na importância da confiança rumo aos resultados que tanto quer... emocionais, financeiros, físicos ou espirituais!

quarta-feira, 16 de abril de 2008

Neuroestratégia nos cursos LIFE Training

No próximo mês de Maio, a LIFE Training (http://www.lifetraining.com.pt/) inicia vários cursos em áreas chave do desenvolvimento pessoal, todos com uma forte contribuição da Neuroestratégia!

Eu (Porto) e o Mário Caetano (Lisboa) vamos orientar os seguintes cursos:

Coaching 4 LIFE: para aqueles que querem ser os seus próprios treinadores e alcançar altas performances como indíviduos!
LIFE Leadership: para quem acredita em assumir a liderança de si e dos outros!
LIFE Sales: destinado a profissionais de vendas ou pessoas que querem utilizar as vendas como processo para atingir resultados. As vendas como processo de ajuda!

Acredito que estamos a disponibilizar conteúdos da mais elevada qualidade, acessíveis com um pequeno investimento. O nosso principal objectivo é proporcionar momentos transformacionais, materializando a visão da LIFE Training: Inspirar Decisões Apaixonadas!

quinta-feira, 10 de abril de 2008

O árbitro é que manda!

Nos últimos dias têm voltado à praça pública as acusações de influência nos resultados da Liga de Futebol por parte dos árbitros. Uma estratégia que é utilizada ciclicamente pelos vários clubes envolvidos na competição (são tão raras as excepções!).

Há uma coisa no jogo de futebol (tal como em qualquer outra modalidade com arbitragem) que parece óbvia e universal: sim, o árbitro influencia o resultado! A intenção do árbitro é julgar bem todos os lances (ou pelo menos assim deverá ser). Tal como na nossa vida é nossa firme intenção agir bem em todas as situações. Ainda assim, por vezes agimos de forma que outros (ou mesmo nós próprios após a acção em causa) tomam por incorrecta. Cometer erros não é sinónimo de má intenção! (Errar é humano... já tinha ouvido esta?)

Ainda assim, temos no geral dificuldade em aceitar erros dos árbitros de futebol (quando ocorrem contra os interesses do clube que preferimos), que é por sua vez reveladora da dificuldade que temos em aceitar os erros dos outros nas outras áreas da nossa vida. Os outros erram porque têm más intenções, nós erramos por causa de uma série de circunstâncias atenuantes e explicativas do próprio erro...

Tudo estaria bem, não fosse o facto de o mais importante em qualquer situação ser responder a duas questões fundamentais:
1) O que aprendi com isto?
2) O que vou fazer agora?

Como dirigente ou treindador de uma equipa, quando decido que o resultado negativo da minha equipa foi unicamente ou principalmente provocado por decisões erradas (e talvez intencionais) do árbitro, na realidade estou a dar as seguintes respostas às perguntas anteriores:

1) Aprendi que é o árbitro quem decide, não a minha equipa, logo o resultado está fora do meu controlo.
2) Vou concentrar-me em fazer com que os árbitros deixem de errar ou passem a errar a meu favor.

Se pelo contrário, a estratégia escolhida for a de "desculpar" os erros, considerando-os parte do jogo e concentrar-se na sua equipa, sua actuação e atitude, as respostas serão algo do género:

1) Aprendi que tenho de fazer ainda mais e melhor, pois necessito de criar mais oportunidades para marcar ou de maior eficiência, já que algumas podem ser invalidadas por erros de arbitragem;
2) Vou preparar-me psicologicamente para lidar de forma positiva com os erros do árbitro, tal como lido com os falhanços da minha equipa ou as defesas da equipa adversária.

Independentemente do que achar sobre os árbitros e o seu trabalho, qual das estratégias vai potenciar um sentimento de controlo sobre o seu próprio destino, emoções poderosas e motivadoras que ajudem a equipa nos treinos e nos jogos? Não tenho dúvidas sobre a estratégia que os vencedores adoptam!

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Apresentação LIFE 4 Friends!

No próximo dia 12 de Abril, sábado, terei o prazer de receber algumas dezenas de amigos no Convento de S. Payo, em Vila Nova de Cerveira, no horário 15-18h, para uma formação com três objectivos principais:


1. Ajudar pessoas de quem gosto a melhorarem o conhecimento sobre si próprias e a serem mais felizes (sim, eu sei que queres ser ainda mais feliz!)
2. Dar a conhecer o meu trabalho como formador de desenvolvimento pessoal às pessoas mais próximas de mim (vamos passar momentos inesquecíveis juntos)
3. Dar a conhecer a minha empresa de formação (LIFE Training), a sua metodologia e objectivos.(entretanto, podes ver o site, que apesar de ainda estar em construção, já te dá uma boa ideia!)


Vai ser espectacular!


Como chegar ao local? É só ver o mapa abaixo!


Obrigado a todos os que decidirem participar... Vão adorar!

domingo, 6 de abril de 2008

Medicamentos que são estratégias!

Observei uma pessoa que estava com fortes dores de cabeça a recuperar em poucos minutos depois de ter tomado um medicamento. Já me aconteceu o mesmo várias vezes. Talvez também a si?

Será possível que o simples facto de termos tomado um medicamento (que acreditamos que nos irá fazer bem) é suficiente para de facto nos sentirmos melhor, independentemente da acção do medicamento? O efeito placebo está tão estudado pela indústria médica, que sabemos hoje que a resposta a esta questão é definitivamente sim!

O interessante da questão é que a partir do momento em que percebemos que podemos melhorar de uma dor de cabeça apenas através de uma alteração da nossa percepção, então podemos realmente aprender a usar a "farmácia" extraordinária que o nosso corpo tem à disposição!

Se é possível fazer isto com fenómenos de expressão física (como uma dor de cabeça) será possível fazê-lo também com fenómenos puramente emocionais? Claro que sim, e todos nós sabemos isto de forma intuitiva! Pensar em algo de que gostamos melhora o nosso estado emocional, certo? Pois é, também temos à nossa disposição uma poderosa "farmácia" emocional! A Neuroestratégia ajuda-nos a descobri-la e utilizá-la!

sexta-feira, 4 de abril de 2008

Uma estratégia que nunca falha!

Hoje falei com um amigo que tem uma estratégia que nunca falha! (todos nós temos, não é?)

Sempre que passa por uma situação emocionalmente negativa, fala sobre ela com um número alargado de pessoas. A forma como fala sobre a situação é sempre muito semelhante: começa calmo e descontraído, quase parecendo que aí vem algo divertido. Lentamente, começa a descrever como alguém fez ou disse algo que lhe pareceu errado, depois passa para a parte em que essa acção ou palavras o fizeram sentir mal, evolui para a forma como o outro na realidade violou valores pessoais indesculpáveis e acaba sentindo profundas emoções de desconforto, ás vezes mesmo frustação e raiva!

Nunca falha! O único problema é que o objectivo não é sentir-se mal... Talvez esteja na hora de alterar esta neuroestratégia!

Que tal passar a descrever a situação começando por: "Aconteceu-me hoje algo que me permitiu aprender algo positivo e valioso. A lição foi..." Resultado diferente? Pode apostar!

quinta-feira, 3 de abril de 2008

Neuroestratégia: o que é?

Descobri que há duas questões absolutamente centrais na vida de cada um de nós. Pessoas realmente felizes conhecem quase sempre a respostas a estas duas questões. A maioria de nós, no entanto, nunca se confrontou verdadeiramente com este par de simples perguntas...

Por que faço eu o que faço?
Como posso fazer aquilo que realmente quero fazer?

Ficou interessado? Então já é um neuroestratega em potência!
Invista os próximos minutos a responder a cada uma destas questões e perceba o enorme poder deste exercício!