Mais info em www.pedrovieira.net

Mais info em www.pedrovieira.net
Mais info em www.pedrovieira.net

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Comportamento Gera Comportamento

Levo a minha filha à escola, saindo de casa com antecedência suficiente (normalmente) para que cheguemos antes de "tocar". Ela está na primeira classe e nos primeiros dias ficava um pouco estressada com esta história do toque. Com o passar do tempo eu fui insistindo para que ela relaxasse e percebesse que, embora seja importante zelar para que se chegue a tempo, em caso de atraso esporádico... não viria mal ao mundo.




(fiz isto inspirado pelas leituras sobre pedagogia da minha companheira e nossas discussões sobre o eventual impacto negativo sobre o bem estar das crianças da criação de ambientes matinais de alta pressão... "tens de te vestir", "já tomaste o pequeno-almoço?", "já lavaste os dentes", "estamos atrasados!", etc)

Ora, na primeira vez em que realmente nos atrasamos, quando faltavam apenas uns minutos para a hora de entrada e ainda estávamos a um bom par de quilómetros da escola, informei a minha filhota de que iriamos chegar atrasados. Para minha surpresa, reagiu com perfeita normalidade e disse "não há problema, porque a professora também chega sempre atrasada"!

Depois de explorarmos um pouco a situação, ficou claro que a professora entra normalmente na escola já depois do toque. Achei interessante, pois a "pontualidade" é avaliada nas crianças! Quando chegamos à escola, por volta das 9h05, lá estava a professora, apontada pela miúda com o dedo, a entrar...

Comportamento gera comportamento! Professores atrasados geram alunos atrasados! Chefes desmotivados geram colaboradores desmotivados! Treinadores indisciplinados geram jogadores indisciplinados! Clientes abusivos geram empregados abusivos! Estados pouco transparentes geram cidadãos pouco transparentes!

No fim, quando os primeiros avaliam os segundos, estão na realidade a avaliar quem? Boa pergunta!

2 comentários:

spritof disse...

Excelente perspectiva!

O dia-a-doa dá-nos lições fantásticas...
...se estivermos atentos!

Ricardo Peixe disse...

Ainda bem que temos todos a opção de bloquearmos as influências que não queremos e dar o exemplo... Boa Pedro.