Mais info em www.pedrovieira.net

Mais info em www.pedrovieira.net
Mais info em www.pedrovieira.net

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

A Neura e a Responsabilidade



Ontem, em determinado momento do dia, recebi um telefonema que me fez escolher ficar com a... neura! Que é como quem diz... triste e desmotivado, sem vontade de fazer nada...

Repararam certamente na formulação da frase inicial... Bem, na realidade, esta formulação ("me fez escolher") já é uma melhoria em relação à sensação inicial. Sim, pois quando o telefonema aconteceu, a primeira formulação foi "o telefonema FEZ-ME ficar com a neura". Percebem a diferença gigantesca entre as duas descrições? Numa há escolha, noutra não!

Ora, de que vale tal escolha se não consigo percepcioná-la? É que só depois de ficar com a... neura... é que ganhei consciência de que certa forma tal era minha escolha. Entretanto... já a tinha!

Sigmund Freud acreditava que o inconsciente (ele preferia chamar-lhe de subconsciente, lembrando que fica "abaixo", o que também pode pressupôr algum tipo de inferioridade lógica) era consituído por uma série de forças lutando desesperadamente para atingir o estado consciente.

Pessoalmente, prefiro a visão de John Grinder, segundo o qual o inconsciente é constituído por toda a parte do meu sistema a que não consigo prestar atenção agora. Ora, quando me lembro que devo ter feito algum tipo de escolha inconsciente que me fez experienciar o belo estado de neura, então trago essa parte do meu sistema para o consciente e posso começar a trabalhar afincadamente sobre ela.

Também posso, se possuir as ferramentas apropriadas, intervir directamente sobre o inconsciente (intervenções conscientes sobre o inconsciente... Hummm, parece-me assunto para um futuro post sobre PNL).

De qualquer das formas, o mais importante parece ser a alteração que acontece internamente quando alguém aceita que deve ter existido uma escolha, pois aí se introduz e pratica o princípio da RESPONSABILIDADE! Se tive uma escolha (mais uma vez... mesmo que inconscientemente) então sou logicamente responsável pelos meus resultados. Os telefonemas não provocam emoções... as escolhas sobre os telefonemas... sim!

Observe por uns instantes as coisas que, na sua vida, lhe estão agora a dar a neura... ou melhor, observe as coisas que estão a permitir que ESCOLHA aceder à neura... aceite a sua RESPONSABILIDADE e comece a observar as alterações emocionais!

E, claro, sinta-se à vontade para fazer perguntas, o meu email fica à sua disposição.

Boas Neuras ;-)

1 comentário:

tania pacheco disse...

Muito útilm para mim Pedro que tenhos neuroses que nem queiras saber... vou usar a dica de deseneurar :S