Mais info em www.pedrovieira.net

Mais info em www.pedrovieira.net
Mais info em www.pedrovieira.net

sexta-feira, 3 de junho de 2011

O Homem Que Perdeu o Nome

Caminhava cabisbaixo pela rua quando um desconhecido o retirou do seu mundo de pensamentos negativos...

- "Bom dia! Posso falar consigo?"
- "Bem, estou cheio de pressa... É rápido?"
- "Muito rápido, só quero fazer-lhe umas perguntinhas para um inquérito. Como se chama?"
- "Chamo-me... chamo-me... oh, diabo, olha esta... não me lembro do meu nome?"
- "Deve estar por aí, certamente!"
- "Não, a sério... não o encontro!"
- "Perdeu-o, então?"
- "Provavelmente, e só agora me dei conta disso."
- "Tem a certeza que não foi roubado?"
- "Acho que não, devo tê-lo simplesmente perdido. Pois quem quereria o meu nome? A maior parte das pessoas não gosta de nomes usados, gosta do seu."
- "E como sabe alguém que o nome que usa é mesmo seu e não de outro?"

Sobressaltado, o homem acordou daquele estranho sonho. O coração batia ainda acelerado quando se aproximou do espelho da casa de banho, lançou água fria na cara e se preparou para se chamar pelo nome. E foi aí que percebeu que o sonho não era sonho, ou que pelo menos o tema sonhado era bem real. Pois também agora se encontrava incapaz de recuperar o seu nome. Não sabia como se chamava, estava bem acordado e percebia isso como quem percebe que o sol queima.

Decidiu procurar ajuda. Dirigiu-se à esquadra mais próxima, pois é o local onde costumam entregar as coisas perdidas. Lá chegado dirigiu-se ao polícia de serviço, que rapidamente lhe perguntou ao que vinha. Disse que não se lembrava do nome...

- "Não sei do meu nome, devo tê-lo perdido. Não entregaram nenhum nome aqui ontem ou hoje?"
- "Espere lá, não o conheço do meu sonho?"
- "Do seu sonho, não estou a perceber!"
- "É que hoje sonhei que abordava um homem na rua para lhe fazer perguntas para um inquérito e ele dizia-me que tinha perdido o nome. Acho que era você!"
- "Também sonhei o mesmo! Mas como seria possível duas pessoas terem o mesmo sonho?"
- "Não faço ideia. Parece-me que o mais importante é estabelecer de quem era o sonho. Pois não gostaria de ter entrado no seu sonho, tal como provavelmente não teria gostado de entrar no meu!"
- "Acho que podemos deixar isso para mais tarde, pois o essencial é perceber que o sonho se tornou realidade, pois aqui estamos os dois e eu não sei do meu nome."

De repente, como que sendo alvo de súbita iluminação, o homem sorriu, acalmou-se, respirou profundamente, disse "já percebi, já percebi"...sentou-se, fechou os olhos e... adormeceu.

2 comentários:

ASLEI you brand disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
António Fidalgo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.