Mais info em www.pedrovieira.net

Mais info em www.pedrovieira.net
Mais info em www.pedrovieira.net

domingo, 29 de maio de 2011

Outras coisas que dão jeito

Depois de ter escrito sobre o jeito que o jeito dá... Reparei ao longo dos últimos dias em outras coisas que dão imenso jeito... Aí vão algumas delas...

(ao ler esta lista, pf lembre-se que estas são generalizações que têm como objetivo per. iterem-nos pensar um pouco mais sobre nós próprios... Se se sentir a ficar demasiado defensivo em relação a alguma destas coisas, então talvez ela lhe dê mesmo jeito. A mim algumas destas coisas dão-me imenso jeito e poucos resultados).

- a idade: este é mesmo um clássico... Não posso fazer isso porque ainda não tenho idade; não posso fazer isso porque já não tenho idade; se fosse mais novo; se fosse mais velho... Às vezes o melhor é esquecer a idade e responder à pergunta: o que quero mesmo? Garanto-lhe que já existiram pessoas a fazer o que quer e com a mesma idade que tem!

- a mania: olhar para os nossos vícios ou manias como se fossem uma entidade é uma das preferidas da humanidade... Não sou eu, é a minha mania das grandezas; o meu vicio não me deixa ter mais saúde; se não fossem os meus hábitos teria mais dinheiro, etc... Mais uma vez, responda à pergunta: o que realmente quer? E depois trate de alterar as manias, vícios e hábitos. Se tiver dificuldades, procure um Practitioner de PNL!

- o tempo: ah, o tempo, esse ingrato... Se eu tivesse tempo; se o dia tivesse quarenta e oito horas; se o tempo esticasse... Deixe-se de letra e reveja a forma como ocupa o seu tempo, aceite tudo como uma simples escolha (repare nas primeiras coisas que saltaram na sua mente depois de ler as últimas linhas...). Afinal o tempo controla-o a si ou é ao contrário?

Num próximo post escrevo sobre mais umas quantas coisas que dão jeito! (principalmente dão jeito chutar para canto enquanto nos dedicamos a usar os nossos recursos para fazer a diferença nas nossas vidas e no mundo!)

domingo, 22 de maio de 2011

Ser Master é...

... descobrir que ser Master é uma escolha...

...escolher que ser Master é uma descoberta...

...e descobrir a descoberta...

...e escolher a escolha...

AGORA!

Como ser humano tive o privilégio de assistir a processos intensos de escolha da Mestria na edição do Master Practitioner de Programação Neuro Linguística que hoje termina no Algarve. Termina ou começa? Isso mesmo...

domingo, 15 de maio de 2011

O que é um Mestre?

Daqui a alguns minutos, iniciamos no Algarve a histórica primeira edição da Certificação de Master Practitioner em Programação Neuro Linguística.

A esse propósito, gostaria de lhe lançar uma série de perguntas... Pense nas respostas, acredite que os resultados vão ser interessantes!

O que é um Mestre numa determinada área de actividade?

O que é um Mestre da Vida?

O que é um Mestre na SUA VIDA? O que terá de fazer para se tornar esse Mestre? Que competências necessita desenvolver? E o que está a fazer agora para as desenvolver?

Boa caminhada!

quinta-feira, 5 de maio de 2011

As crianças e o foco

Nos últimos dias fui várias vezes confrontado com a questão da dificuldade das crianças em manterem o seu foco em determinadas tarefas. Pais, mães e professores interessam-se logicamente por esta questão e procuram informação sobre a questão. Assim, listo alguns comentários pessoais, na expectativa de que possam constituir do tributos válidos para quem se interessa por este tema. Comentem!

1. O que é o foco? Capacidade de manter atenção consciente a algo. Desde a década de 50 (com os estudos de Miller sobre o tema) que se aceita que temos uma capacidade limitada de processamento consciente de informação, podendo prestar atenção a 5 a 9 pedaços de informação em simultâneo. Quando dizemos que alguém tem dificuldade em focar-se talvez queiramos simplesmente dizer que esta pessoa tem é uma capacidade de se focar rapidamente em coisas diferentes!

2. Qual a razão pela qual uma criança deveria manter-se focada numa tarefa? Bem, provavelmente para gerar melhores resultados. Será que a criança está mesmo interessada nesses resultados? A minha filha consegue "distrair-se" três vezes enquanto faz uma simples cópia de UMA palavra no seu livro de português da primeira classe. Por outro lado consegue manter-se hipnotizada por uma actividade do seu interesse por horas a fio (série de televisão, um desenho para a mãe, um puzzle estimulante). Muitas vezes queremos que as crianças se foquem em tarefas que são pouco estimulantes, desagradáveis e até pouco eficientes. Não se interessar por elas é um claro sinal de inteligência por parte das crianças.

3. Quando não conseguimos acompanhar o ritmo e vivacidade de uma criança, despertando a sua curiosidade e atenção, estimulando-a verdadeiramente... Podemos dizer que ela tem dificuldade em manter-se focada em vez de dizermos que ainda não encontramos forma de captar o seu foco. Já interagi vezes suficientes com adultos em momentos de poucos recursos (incluindo eu, claro) para poder afirmar que a falta de foco da criança é frequentemente um mero sinal da incompetência momentânea do adulto. Muitas vezes esta incompetência é exercida por profissionais da comunicação com crianças, incluindo professores e terapeutas. Existem cursos e livros recheados de informação valiosa para profissionais que não estão a atingir resultados. Também existem drogas que se podem dar às crianças, embora a sua utilização seja apenas necessária nos casos em que o profissional da comunicação, além de incompetente, está também pouco interessado em aprender e fazer a diferença! (com as devidas e fundamentadas excepções médicas)

Este assunto é tão importante e interessante que será naturalmente alvo de mais entradas e referências cientificas.

PS Durante este post o meu foco foi várias vezes atraído por outros estímulos visuais, auditivos e cinestésicos. Espero que não me levem ao médico...