Mais info em www.pedrovieira.net

Mais info em www.pedrovieira.net
Mais info em www.pedrovieira.net

terça-feira, 20 de março de 2012

A Liderança: afinal o que é?

Milhares de definições de liderança podem ser facilmente encontradas. Gostava de partilhar mais uma consigo, aquela de que mais gosto e que mais procuro aplicar na minha vida. Preparar para pequena viagem ao mundo da NeuroLiderança!

Um dos axiomas da Programação Neuro Linguística (PNL) afirma que "tu controlas a tua mente, logo controlas os teus resultados". Neste sentido, todos... Mesmo todos... são líderes de si próprios, navegando pelos mares desconhecidos da vida, fazendo escolhas, experienciando eventos e circunstâncias, fazendo novas escolhas...

Neste processo, existem diferentes formas dos líderes (todos) lidarem com esse poder de controlar a mente:

1. Podem não assumir o controlo, apesar de estarem a exercê-lo. Neste caso, podemos falar da adoção do famigerado princípio do EFEITO: os meus resultados são meros efeitos de circunstâncias que não controlo.

2. Podem assumir o controlo. Neste caso poderemos afirmar que está a ser usado o princípio da CAUSA: os meus resultados são causados pelas minhas escolhas e reações ao meio, pelo que eu os controlo.

A minha experiência de vários anos a lidar com muitos milhares de pessoas (só em 2011 contactei diretamente com perto de 20 mil pessoas no âmbito das minhas atividades como trainer e coach) tem-me mostrado uma relação intima entre a questão da CAUSA vs EFEITO e dos níveis de liderança.

Simplesmente, estar em EFEITO é renegar a possibilidade da liderança!
E estar em CAUSA é abraçar a liderança!

É neste sentido que gosto de olhar para a temática às vezes complexa da liderança, através deste prisma simples: o indivíduo assume ou não a responsabilidade pelos seus resultados? E o que faz com essa responsabilidade? Utiliza-a como catapulta para novos comportamentos e novos resultados?

Nos cursos de NeuroLiderança que facilito, o foco está precisamente nesta questão. E, diariamente, penso em novas formas de ajudar pessoas (e a mim, no processo) a aproximarem-se do princípio da CAUSA, ganhando assim novos níveis de aceitação e intervenção sobre a vida e o mundo.

Tem sido muito gratificante ver pessoas de todas as idades começarem a viver uma vida mágica através do crescimento como líderes! Hoje... é o seu dia! Quando olha para os resultados que está a obter e de que não gosta... Culpa os outros ou assume a responsabilidade? E, mais importante ainda, o que vai fazer hoje para alterar esses resultados?

Há quem se deixe abater emocionalmente durante este processo. Quase como se pensasse "não só não gosto do resultado como ainda por cima percebo agora que a responsabilidade é minha"! Sim, e a responsabilidade do sentimento que está a sentir agora... também! E talvez resida precisamente aí o grande passo da liderança... assumir a responsabilidade pelos sentimentos!

Já sei que nem todos vão concordar. Áreas inteiras do conhecimento (e da ciência) estão construídas em cima do princípio básico de que não somos responsáveis pelos nossos sentimentos. Que eles brotam de processos complexos, descontrolados, de origem muitas vezes "genética" ou "social"...

A minha proposta é simples. Façamos de conta que podemos assumir responsabilidade pelos sentimentos e que conseguimos controlar os processos que podem levar à sua alteração. E, para fazer de conta... há que fazer!

Experimente então alterar o significado que atribui aos eventos que não servem, alterar a linguagem e o foco, alterar a forma como utiliza a sua fisiologia... e dê espaço à magia! À magia da liderança!

Sem comentários: